52113_Theron_42327.jpg

O TRADICIONAL QUE NÃO SAI DA MODA!

ICONES_CUIDADOS_KALANCHOE_Prancheta 1_ed

SOL DIRETO/INDIRETO

As Kalanchoes amam o sol! Quando expostas a maior quantidade de luz, como em ambientes externos, suas flores ficam com as cores mais intensas e as folhas apresentam tons avermelhados. Já em ambientes com menor incidência de luz, a planta apresenta tons mais claros.

ICONES_CUIDADOS_KALANCHOE_Prancheta 1 có

IRRIGAÇÃO 1X POR SEMANA

Kalanchoes possuem folhas grossas, que armazenam água em seu interior. Por isso, não precisam ser regadas com tanta frequência. O ideal é irrigar com água em temperatura ambiente, somente quando a terra do substrato estiver seca. Ou seja, a cada 7 dias. Também evite deixar água acumulada no vaso/pratinho.

ICONES_CUIDADOS_KALANCHOE_Prancheta 1 có

ADUBE A CADA 30 DIAS

Para instigar a durabilidade e beleza da planta, adube a cada 30 dias com fertilizante de formulação NPK (10-10-10) ou similar seguindo-se as recomendações do fabricante.

ICONES_CUIDADOS_KALANCHOE_Prancheta 1 có

IDEAL PARA DENTRO OU FORA DE CASA

Kalanchoes são plantas versáteis que se adaptam facilmente em ambientes internos e externos. Considere sempre as recomendações de luz na hora de escolher o melhor local para sua Kalanchoe. O ideal seria um local onde elas possam ficar expostas as primeiras horas de sol do dia.

 

CURIOSIDADES

Kalanchoe é uma planta pertencente à família das Crassulaceas, originárias da China e do sul do continente africano. O nome Kalanchoe é derivado da palavra chinesa Kalan Chau, dado pelo botânico Adonson, em 1763.

Em 1928, o comerciante de sementes Robert Blossfeld - Potsdam, Alemanha - descobriu a planta e viu nela uma oportunidade comercial. Em 1932, Robert a introduziu no mercado como Kalanchoe Blossfeldian. Deste período em diante, alemães e suíços melhoraram a espécie. Em seguida, os americanos passaram a desenvolver novas modificações dessas variedades. Porém somente na década de 80 veio o sucesso internacional, graças aos esforços de holandeses e dinamarqueses, e o resultado foi uma planta compacta, com hastes resistentes e muitas flores, com cores intensas, mais claras, bicolores e suaves.

A última grande descoberta veio em 2001, quando um produtor de Kalanchoes da Dinamarca se deparou com uma mutação na variedade de Kalanchoe lilás. Esta mutação apresentava flores com cerca de trinta pétalas em vez das quatro habituais. A Dümmen Orange, empresa breeder (melhorista), fez cruzamentos com esta mutação originando o Kalanchoe Dobrado, ou Calandiva, como é popularmente conhecida. Assim como a Kalanchoe tradicional, a Calandiva tem alta durabilidade e possui diversas cores.

Hoje existem vários breeders de Kalanchoe no mundo, que atuam sempre na melhoria de variedades atuais mas também no desenvolvimento de variedades exóticas e especiais, como é o caso das variedades novas de Kalanchoes bicolores. Essa também é uma das grandes razões do porque a Kalanchoe nunca sai da moda, elas estão sempre em constante mudança e surpreendendo o mercado.

 
52348_Wilis_43830.jpg